terça-feira, 11 de julho de 2017

Nem mesmo os mais idolatrados se safam de um tiro

E vou voltar a ele - a este assunto do Salvador Sobral e a sua forma de interpretar a música que levou ao festival, acabando por trazer a vitória para Portugal.



Já havia usado este exemplo antes, e vou dá-lo novamente. Este é um vídeo de uma atuação televisiva de Elvis Presley, no Edd Sullivan's Show, 1957. Nesta atuação Elvis surge muito «preso» nos movimentos que lhe eram naturais ao cantar, devido ao enquadramento fechado da câmera de TV que só o podia enquadrar em plano de peito. Nota-se que Elvis quer «expandir-se» mas tem de conter-se. 

Isso são aquelas «tecnicidades» do meio sobre as quais sempre inclino um olhinho... Adiante: a pesar disso, que lhe corta quase totalmente o estilo, Elvis aparece a cantar vários excertos de suas músicas, e pode-se observar plenamente que ele também tem tiques. Também abre a boca e estende a sílaba para lá do natural (vejam a parte em que canta Love me Tender), também vira o pescoço para o lado num gesto estranho... 


O que quero voltar a sublinhar é que TODO O ARTISTA interpreta e Elvis está, à semelhança de Salvador, a interpretar. E sendo música o que eles interpretam, não é inesperado ver o corpo a balançar de acordo com os acordes, com o tempo... Acho que é natural. E aprecio quando é natural. Porque quando se sente que um artista se move em palco e tenta fabricar tiques que não lhe são naturais, a atuação é pobre. Se apetecesse ao Salvador Sobral fazer o pino e cantar de cabeça para baixo, eu ia gostar de ver. Porque seria natural para ele. 



Só deixa de ser natural quando passa a ser o foco e remete a musica para segundo plano. Como tanta vez acontece principalmente quando surgiu a moda das boys-band (iniciada pelos Beetles). Quanto a Elvis... que pena sinto dele. Era um artista tão bom, mas tão bom, podia ter sido muito mais. Ficou com o rótulo de "Rei do Rock" mas... coitado. Vida miserável. Tornou-se numa pessoa que cedeu às suas inseguranças e alimentou o seu lado megalomano. Ainda assim, admirável pelo talento que tinha. Neste vídeo acima sinto pena dele pelo simples facto de quase nem conseguir cantar de tanta histeria à sua volta. Nem cantar, nem dançar ou movimentar-se como gosta, ao ritmo da música. Porque bastava-lhe abanar uns segundos as ancas e pronto: o mulherio aumentava o volume do histerismo. 


E Salvador Sobral incomoda-se quando lhe batem palmas... Ó Salvadori, filho, por acaso recebeste dos fãs 282 ursinhos de peluche como o Elvis recebeu pelo Natal de 56? Kkkk


Como já disse antes: entendo perfeitamente esta aversão. Mas o que é sempre foi e será. Há que saber gerir bem estas coisas, para não se virar um Elvis ou mesmo um John Lennon


O que têm de errado estes dois artistas?
Eram ambos cantores mas pessoas bem diferentes. Atingiram no mesmo período de tempo um nível de estrelato elevado e são ícones da música até hoje. John Lennon demonstrou algum incómodo com toda a veneração que lhe era dirigida (assim como Salvador) e também era dado a controvérsias, tendo comportamentos e fazendo declarações polémicas. Era comum Lennon fazer graçolas durante os concertos a solo, onde muitas vezes tocava ao piano. Uma vez ele cantou "Imagine" mas antes deu uma graçola de «mau gosto». Faz lembrar alguém??


Porém, de certo modo, tanto Lennon quando Elvis sairam derrotados, principalmente Lennon que lutava contra o sistema que recriminava. Uma mensagem que gostava de passar ao Salvador Sobral é esta: John Lennon também foi idolatrado e venerado por centenas de fãs mas isso não o impediu de ser morto à bala. Há sempre um que discorda... Pensa nesse quando o histerismo parecer querer engolir-te.

Elvis provavelmente só não teve o mesmo destino porque nessas duas vertentes opostas, o maluco era ele. Elvis andava armado e tinha um grupo de guarda-costas apelidado da Máfia de Menphis. Elvis adorava armas de fogo, tinha resmas delas e costumava andar aos tiros dentro de casa, aleatoriamente. Se não gostava de alguém na TV, dava um tiro no televisor! Costumava convidar algumas pessoas e logo mostrar-lhes um revólver. Todos os que entravam em sua casa eram revistados porém viam armas por todo o lado, transportadas à vista pelos seus seguranças e «entourage». Uma descrição de um «lar» que mais se assemelha às acomodações de um quartel de droga.

O que não deixa de ser uma comparação adequada, quando se sabe que Elvis drogava-se regularmente e «vivia» para a próxima dose. 

Portanto, isto de ser artista tem muito para dar errado. Tem tudo para dar certo quando se é talentoso e esse talento ascende o mediano.  Mas por isso mesmo tem uma igual ou maior proporção para dar muito errado.  

E pode-se ir de bestial a besta numa fracção de segundo.

Pf. continuem a deixar a vossa mijadela, obrigado.

4 comentários:

  1. Ai Portuguesinha... comparar o Salvador ao Elvis e ao Lennon? Entendi a associação, afinal tanto o Elvis como o Salvador teem um jeito peculiar de interpretar a musica. O Lennon era um rebelde sem causa e essa coisa dos "outsiders" mata-me de tedio. Como podem reclamar que são perseguidos pelos fãs, que não teem um minuto de sossego, se depois tudo o que fazem é para ser visto e aplaudido? Se um cantor não quer ser famoso limite-se a cantar entre quatro paredes ou na melhor das hipóteses, à volta da fogueira com um grupinho de amigos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque não? Estou a comparar artistas. Até podia comparar à Amália. O estrelato que atingem é irrelevante para se poder estabelecer comparações. Não é só o Elvis, ou o Salvador. São todos os artistas que interpretam música - têm um jeito próprio de o fazer. Ora, uns são os mais "certinhos", não saem muito da linha... Mas são os que saem, porque sentem diferente, que se destacam.

      O ser artista tem essa dualidade de precisarem do público, mas «odiarem» o assédio do público. Coisa que entendo e não me faz confusão. Eu preciso de amigos, mas se todos eles me quiserem para si ao mesmo tempo e não me deixarem um segundo para respirar, aí já finjo que não estou em casa e fui viajar para um sítio sem rede de telemóvel Kkkk

      A arte reconhecida é uma faca de dois bicos. Sabe bem mas também corta.
      PS: Obrigada por comentares este post - foste a primeira (e talvez a única) e obrigada por fazeres scroll down e seres das que vai deixando «mijinhas» pelos posts.

      Quanto ao teu blogue, não te perdoo por o deixares tanto tempo a apanhar teias de aranha. Pronto. Tá dito. Larga de ser preguiçosa, pega na vassoura e dá-lhe uma renovada :))

      Eliminar
    2. Não tem nada de mal comparar artistas (no caso o S.S ao Elvis) mas pelos anos de profissão, o mais novo acaba sempre por ficar a perder.

      Sim, é verdade que cada artista tem a sua forma própria de interpretar uma musica. O John Mayer também farta-se de fazer caretas quando canta e sinceramente não acho piada nisso. Não é que eles tenham de ficar tipo estátua no palco mas às vezes são caretas/tiques que acho despropositados... e eu sou uma "pikena" que não gosta de exageros ahaha

      Reclamas que não atualizo o blog mas lá está ele com um post novo e comentários que é bom, só tive de uma pessoa que nunca tinha visitado o meu blog antes. Assim eu desanimo! Anda aqui uma pessoa fechada dentro de casa só para satisfazer os seus fãs e eles não ligam nadinha. Está mal!

      Eliminar
    3. Oh Ana, cada vez que vou lá visitar ansiosa como fã que sou por uma novidade, ainda lá estava a mensagem de «vou parar um bocadinho» Kkkk.

      Então depois passo lá que agora a esta hora não me dá jeito, pois já me preparava para apagar a luz que é hora do vitinho (alguém se lembra?) e eu... começo a trabalhar às 3 da manhã :))

      Estás a entender agora o dilema das estrelas? Sem público desanimam, KKkkk. Eu cá também ando a desanimar com os comentários escassos lol. Anda uma pessoa em casa a tentar satisfazer os seus fãs (lol), a solicitar mijadelas (lol, lol). Daqui a nada o blogue faz 10 anos de idade. E pela primeira vez ocorreu-me fechar as portas (e abrir outro). Mas só de pensar na TRABALHEIRA que dá em conseguir ser lido e comentado... Sem meter «besteiras» de conteúdos de marketing e promoção - claro. À semelhança de ti tenho um outro blogue só sobre filmes e ninguém lá põe os pés. Nunca entendi isso Kkkk.

      Então marcamos encontro no teu estaminé :))
      Um abraço

      Eliminar

Partilhe as suas experiências e sinta-se aliviado!